Israel amplia ofensiva logo após resolução da ONU

Petr Jesek / ReutersSoldados israelenses guardam posição na fronteira entre Israel e o Líbano

Soldados israelenses guardam posição na fronteira entre Israel e o Líbano

O Exército de Israel diz ter iniciado a "ampliação" da sua ofensiva militar por terra no Líbano horas após o Conselho de Segurança da ONU ter aprovado a resolução que pede o fim dos combates no país.

Tropas estariam a caminho do rio Litani, a cerca de 30 km da fronteira com Israel, e novos ataques aéreos neste sábado na cidade de Tiro resultaram em mortes, segundo a BBC.

Na sexta-feira, o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, havia determinado que o Exército se prepare para ampliar a ofensiva. Olmert e seu ministro da Defesa, Amir Peretz, teriam chegado a tal decisão depois de uma reunião de quatro horas na manhã desta sexta-feira.

30 mil soldados

O porta-voz do ministério das Relações Exteriores, Mark Regev, disse que uma saída diplomática não foi de todo descartada.

Israel ainda não confirmou o tamanho desta ofensiva. Na quarta-feira, o gabinete de governo israelense havia aprovado a ampliação das operações militares em uma faixa de até 30 km do território libanês, até as margens do Rio Litani.

A operação envolveria até 30 mil soldados e visaria destruir as bases do Hezbolá no sul do Líbano, de onde os foguetes que atingem as cidades israelenses continuam a ser disparados. A medida foi suspensa por dois dias para dar tempo para os diplomatas negociarem o fim da violência.

Combates

Os combates prosseguiram na sexta-feira, com bombardeios israelenses a uma ponte nas proximidades com a fronteira do Líbano com a Síria, matando 12 pessoas e ferindo 18. Os bombardeios continuaram também no sul de Beirute.

No sul do Líbano, estão ocorrendo violentas batalhas campais entre os guerrilheiros do Hezbollah e soldados israelenses. Um soldado de Israel foi morto na vila de Labuneh.

O Hezbolá disse que quatro de seus homens também morreram, mas não especificou quando. Foram disparados mais foguetes em direção ao norte de Israel, ferindo pelo menos cinco pessoas.

A TV do Hezbollah disse que o grupo afundou um barco militar de Israel, mas o país negou a informação. Na cidade de Marjayoun, 350 militares libaneses estão isolados na cidade.

Autoridades libanesas dizem que eles foram detidos por forças de Israel que invadiram a cidade. Os israelenses afirmam que os libaneses estão sendo mantidos na cidade para o próprio bem dos militares. Funcionários das Nações Unidas estão tentando liberar os militares.

Fonte: Terra

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *