Blog

Bispo Filho

Bispo Filho é Administrador de Empresas e Estudante de Jornalismo.

Todas as postagens são de inteira responsabilidade do blogueiro.

A cidade e a prática da cidadania

Exercer plenamente a cidadania é ter conhecimento dos direitos e deveres e ter consciência de que ações individuais afetam a sociedade como um todo.

É um grande desafio viver e conviver em áreas urbanas, cada vez mais densamente povoadas e onde as mais diferentes pessoas se encontram e desejam ser respeitadas e ter seus anseios atendidos, bem como querem também, das mais diferentes formas, contribuir e participar da dinâmica dessa vida urbana.

Para que tal dinâmica flua com sucesso, atenda e enriqueça a todos é preciso que as pessoas estejam abertas à diversidade cultural, às diferentes ideologias que permeiam os vários espaços e aspectos da vida nas cidades.

É importante também que a solidariedade e o voluntariado se desenvolvam em diferentes ações e momentos, integrando assim, diferentes grupos de pessoas que em conjunto agem visando um bem comum.

Estimular e desenvolver a consciência cidadã deve ser uma prática individual e coletiva de todas as pessoas, tendo como norte o bem-estar de todos e ser também uma forma de construir o sentimento de pertencimento a uma comunidade.

Quando as pessoas se sentem parte de uma comunidade, de uma cidade, elas aprendem a exercer a cidadania, aprendem que agir individualmente é necessário em alguns momentos e que em outros, a força coletiva é mais eficiente.

Para que a prática cidadã seja cada vez mais eficiente, as pessoas precisam reciclar suas ideias em relação a cidade e sua dinâmica, pois nos dias atuais a informação corre instantaneamente e por isso todos precisam estar atentos ao que se passa na sua cidade, no seu lugar de moradia, trabalho, estudo, e sair de algo parado para algo vivo. Isso exige romper padrões antigos e arraigados, como o individualismo, o “isso não é comigo”, o “deixa que eles façam”, o “isso não dá em nada”…

A prática cidadã se fará cada vez mais e, na maior parte das vezes, cultivando a colaboração, o compartilhamento de ideias, pois compartilhar é coletar e distribuir conhecimentos entre as pessoas que moram na cidade e a partir daí transformar, melhorar as comunidades e transformando comunidades melhora-se a cidade e tem se então a possibilidade de viver em harmonia e progresso individual e coletivo.

Coluna Versando: Irene Grockotzki

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *