Senador pedirá investigação sobre aquisição, pela Caixa, de carteira de créditos consignados

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) informou que vai requerer à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios que investigue a aquisição, pela Caixa Econômica Federal, da carteira de operação de créditos consignados para aposentados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) do Banco de Minas Gerais (BMG).

A operação foi realizada em 22 de dezembro de 2004 e a Caixa, segundo o senador, pagou ao banco R$ 1.094.002.471,19 pela carteira. Ele afirmou que a Caixa não perdeu dinheiro com a operação, mas teria deixado de lucrar R$ 350 milhões caso utilizasse os recursos em sua própria carteira de crédito consignado.

Em agosto, o parlamentar apresentou requerimento de informações sobre essa operação. Nesta semana, segundo ele, a documentação chegou incompleta, faltando 50 páginas. Álvaro Dias disse ter estranhado, ainda, o fato de a Caixa Econômica pago mais de R$ 1 bilhão, à vista, quando o BMG investiu nesta carteira R$ 884.179.241,00.

"No mínimo foi uma operação temerária, com o pagamento de um ágio de R$ 209.823.230,18", segundo o senador. Ele também disse que pretende requerer a convocação do presidente da Caixa, Jorge Mattoso, para depor na CPMI dos Correios. E que apresentará outro requerimento para que o Tribunal de Contas da União realize auditoria no processo de transferência da carteira de créditos consignados do BMG para a Caixa.

"A Caixa Econômica Federal comprou em confiança, todo o cadastro permaneceu no BMG. A justificativa do BMG para não transferir esses dados da carteira para a Caixa foi a de que o volume de documentos era muito grande", afirmou Álvaro Dias.

Fonte: Agência Brasil

Veja Mais

Deixe um comentário